No, I Don't Want No Scrubs...: My Non-Negotiables
Filosofia

No, I Don't Want No Scrubs...: My Non-Negotiables





Querida Sofia,
Já mencionei aqui que sou infelizmente uma profissional em rupturas amorosas. E quem diz isso diz que namorou bastante. Não queria ter chegado aos 29 anos com as experiências que tive. A maioria magoou-me tremendamente e fizeram com que eu me tornasse uma pessoa meio fria e meio incrédula. Por vezes, preferia ser daquelas meninas que não tem namorado até aos 25 anos e de repente encontra logo o homem da sua vida sem passar pela casa da partida, sem receber 2000 e sem ter um histórico de coração partido. Talvez fizesse com que eu acreditasse mais no amor e que fosse menos blasé com algumas coisas que acontecem à minha volta. No entanto, 2015 foi o ano em que vi duas mulheres muito próximas de mim começarem a namorar homens que, além de namorados, em meses se tornaram companheiros de casa, noivos e hoje são os seus maridos! O amor, a intempestividade, a certeza do que se quer ainda existe por aí.
Há anos, eu disse aqui que não namoraria com alguém mais novo ou mais baixo do que eu... Oh Deus, o que a vida me ensinou deste então! Mais vale um homem um pouco mais novo que seja o nosso amor que um homem alto, digno de capa de revista, que seja o maior traste da história da humanidade.

Dear Sophie,
I have already told you that I am a pro at break-ups. This is very unfortunate of me, but it also means I have dated a lot. I wish I was not a 29 year-old with this much experience, to be quite Frank with you. Most of my relationships hurt me a lot and made me become a stiff and blasée person when it comes to love. At times I wish I were one of those girlfriends who is 25, never had a boyfriend and OUT THE BLUE, she meets the man of her dreams and does not take that heavy burden of a baggage that hurt woman sometimes have. She can just enjoy it wholeheartedly. Notwithstanding, 2015 was the year I saw two women who are close to me meet their men, move in together, get engaged and they are already married! Not everybody is taking their time when it comes to love, sometimes it needs to be intense and lived like this!
A few years ago, I wrote here that I would not date a man who was younger or shorter than me... Oh God, how have I changed! I’d rather have a younger man in my life, who puts me first to a tall man who is a plain jerk.  

Todas as minhas experiências negativas (de família inclusive) apenas ajudam-me a fazer o resumo seguinte: há coisas que não podemos negociar. Há valores que são intransigentes. Há formas de ser e pensar que não podemos mudar e que quando nos aparecem à frente, têm de ser um alerta. Pelo menos, estes são os meus alertas.

All my negative experiencies (from my family included) have only allowed me to come to this: there are non-negotiables in relationships! There are values we just cannot let go of. There are ways of acting and thinking that will not change. And when some do not, we need to activate our best warning signs to change them or just leave. Here are my non-negotiables nowadays.

Disclaimer:
Eu aceitei que isto tudo acontecesse comigo no passado, e prometi-me a mim mesma tentar ter os olhos abertos ao máximo para nunca mais voltar a aceitar isso.
I have accepted these types of situations in the past and recently promised myself I would try my best at keeping my eyes open so as to prevent this from happening ever again.

1 – Homens comprometidos com outra pessoa e/ou que não se contentem apenas comigo. Men who are with someone else or cannot just be with me.

Por falta de amor próprio, aceitei andar e/ou namorar com gente já comprometida (e que me tinha prometido deixar a outra por mim...ha!) ou que o meu “namorado” andasse com as mesmas pessoas que eu. Pensei que eu não merecia uma relação só para mim durante muito tempo. Pensei que se partilhasse poderia ter mais. Isto eram ilusões. O Natal é dia 26 de Dezembro e o dia de São Valentim é no dia 15 de Fevereiro, como se diz. Se eu tiver aprendido algo com isto, e espero que sim, espero nunca mais voltar a deixar que isto me aconteça.

For lack of self-love or something of the sorts, I have dated people who were already in a relationship (because they promised they’d leave the other woman for me... ha!) or have allowed my “boyfriend” to date people other than me. I thought for a moment that I did not deserve a relationship to call my own. I thought that by sharing, I’d receive more. But as they say, Christmas is on December 26th and Valentines’ Day is on February 14th. If I have learned anything from this, and I hope I have, is that I should never allow it to happen ever again.

2 – Homens que não partilham as suas finanças (ou alguns aspectos financeiros) comigo. Men who do not share their finances (or a few financial aspects) with me.

Eu tenho o meu salário como um grande sigilo. Por exemplo, não conheço ninguém fora o meu chefe e os RH da minha empresa que conheçam o meu salário. É para mim uma informação muito confidencial. No entanto, quando falo de partilha de finanças, falo de partilhar despesas comuns como jantares, saídas e viagens. Acho que é preciso ter muito bom senso. O nosso namorado não é um inimigo e se a cada jantar ficarmos a contar os tostões e “tu comeste mais que eu então pagas mais”/”eu não queria vinho e tu querias, tás a ver, não deverias, é tão caro, agora vou ter de pagar algo que não bebi!”, prefiro nem ir mais jantar com essa pessoa. Acho feio e pequeno ser tão agarrado com alguém que “potencialmente” nos dá tanto. E vice-versa!

I hold my salary as one of my greatest secrets. There is not a soul in the world – except my boss and my HR – that knows about my salary. I consider it confidencial. Nevertheless, when I mention sharing financial aspects in a relationship, I am talking about shared expenses such as dinners, going out, trips... I think common sense is crucial here. Our boyfriend is not our enemy and if we are counting the dimes at each meal and this happens: “you ate more than me so you should pay more” or “you see? You really wanted that wine didn’t you? And it’s so expensive! And now I have to pay it! And I did not even drink it!”... In this case, I’d rather not even have dinner out with this person! I think it petty and senseless to deal with money this way. How can you not share everything with someone with whom you are supposed to share everything? And vice versa!

3 – Homens com falta de abertura para o mundo e ambição. Men who lack openness to the world and ambition.

Há alguns anos, sai algumas vezes com um rapaz que não era aberto para o mundo e não tinha ambição alguma. Por essa e outras razões, a relação não passou de semanas. Primeiro, ele era muito fechado. Não tinha viajado muito (apenas dois países), não falava outra língua fora português e tinha muito preconceito com qualquer cultura fora a “lusófona”. Por exemplo, a comida chinesa era para ele “nojenta” somente pelo facto dele ter medo de a experimentar. Segundo, não tinha ambição alguma. Trabalha na mesma empresa, com a mesma função e o mesmo salário há anos (e ainda lá está hoje) e não procurava novas oportunidades porque “gostava muito do chefe”. Acomodou-se numa situação que já o prejudicava por medo de mudar. Tentei, durante semanas, mudá-lo e fazer com que fosse mais curioso com o mundo e ajudei a conhecer e ver sites e ofertas de emprego que se enquadravam com o perfil dele. Eu considero-me como uma cidadã do mundo e como uma pessoa profissionalmente ambiciosa e não me revia na postura dele. Sentia que não estávamos a avançar na mesma direcção.

A few years ago, I dated a man who both lacked openness and ambition. He did not have much going on for himself and the relationship did not last more than a few weeks. Firstly, he was not open to the world. He had not travelled much (just two countries), did not speak a language other than Portuguese and had many prejudices against other cultures (Chinese food was automatically disgusting... but it was a reflection out of fear of trying something new). Secondly, he lacked ambition: he had the same job, in the same company and position for years (still there to this day, btw), with no salary increase, no perspective to move up. With his meager salary could not afford his lifestyle any longer. And he did not want to move to another company because he “really liked his boss”. He accomodated and accept a life that was hard for him to keep, but was too scared to ever change. I tried, for weeks, to change him and make him want to be more curious about the world and also tried to show him about recruitment websites and offers that would suit his profile.
I consider myself as a citizen of the world and as a professionally-hungry woman and just could not see myself with him because we did not see the world the same way or at least, we were not moving in the same direction.


4 – Homens que não querem o meu sucesso (caso seja maior que o deles). Men who do not want me to sucede (especially if my success is greater than theirs).

Durante a minha vida, tive laivos de sucesso em alguns domínios. E já me aconteceu partilhar com um namorado algo de incrível que me tivesse acontecido apenas para ouvir “não é assim tão especial”, “eu também já fiz isso e melhor” ou qualquer outro tipo de comentário a denegrir ou não a dar os parabéns por algo que me tenha custado muito atingir. Sei que há homens que fazem isso para rebaixar as mulheres com quem estão, para que não fiquem com a autoestima muito elevada e consigam permanecer dependente da validação deles para vários pontos das suas vidas. Tô fora!

Throughout my life, I have had a few success stories and episodes, here and there. And it has happened to me, to share one of those incredible feats to my “significant other” only to hear him say “it is not that special”, “I already did that and I was much better at it” or any other kind of derogatory comment they’d do instead of just congratulating me! I know some men do that to put their women down, crush their self-confidence and make them become dependent on their opinion and validation for anything in their lives. I am out!


5 – Homens que não me incluam nos seus projectos de vida. Men who will not include me in their life plans.

Imagina o que é começar a namorar com alguém e depois de alguns meses, essa pessoa dizer-nos que vai mudar-se para o outro lado do mundo ou que vai passar um mês de férias somente com os amigos, justamente naquele mês que tirámos para passar com ele? Isto aconteceu comigo. E quando aconteceu, tentei fazer de tudo para a outra pessoa sentir que eu valia a pena, para ser finalmente incluída nos seus planos. Falhei várias vezes. Não deveríamos ser nós a nos “vendermos” para alguém ver o nosso valor. Se uma pessoa gosta de nós e respeita-nos, estaremos automaticamente incluída nos seus planos. Se um dia voltar a sair-me na rifa um homem que não me inclua na sua vida, saberei que não devemos estar juntos. O sofrimento adjacente é inevitável.

Imagine you start dating a guy and after a few months, he tells you he is moving to the other side of the world or that he will spend a month of holidays you were expecting to spend together with his friends, not including you? This has happened to me. And when it did, I tried to make a space for myself and make the other person see I could really be an asset in that plan. I failed multiple times. You should not be the one selling yourself so as someone else sees you as an asset. If a person likes you and respects your relationship, you will be naturally included in it. If I ever stumble upon a man who does not include me in his plans, I will know he is not the one for me. The impending suffering will be hard to avoid.


6 – Homens com dependências químicas. Men with chemical addictions.

Homens que fumam cigarros. Homens que fumam outras substâncias ilícitas. Nem que seja só uma vez ou outra. Homens que bebem. Não é um copo social, é uma garrafa inteira uma ou várias vezes por semana, sozinhos. Acredita, estes perfis nada têm a ver comigo e causam situações quase nefastas dentro de uma relação. Foi preciso eu viver para aprender isso.

Men who smoke cigarettes. Men who smoke other ilegal things. Even if it’s just once a week... Men who drink heavily. Not just that social drink at the bar with friends, no, they will drink a bottle or more in a week. On their own. Believe me, these types of men have nothing to do with me. And I had to live it to know how awful it can be in a relationship and in people’s lives.

7 – Homens para quem eu não seja uma prioridade. Men who do not make me their priority.

Eu ser a prioridade da pessoa com quem eu estou é a minha nova prioridade numa relação. Nunca fui a prioridade de ninguém (sobretudo por não ser prioridade para mim mesma!) e sempre aceitei estar ali numa posição muito secundária, apenas para fazer parte da vida daquele homem lindo, daquele homem poderoso, daquele homem alto.
Essa Jessica já não existe. Temos de ser a prioridade um do outro numa relação. Não quero com isso dizer que descure do trabalho ou de outros temas, mas o nosso par, quando o escolhemos, não pode ser um pensamento no final do dia, ali por acaso, deve ser um pensamento constante, alguém a quem queremos bem, que estamos disponíveis para ouvir quando precise e a quem dedicamos o nosso tempo. Dizem que é a maior prova de amor dos homens, dar o seu tempo. E eu quero essa prova de amor de maneira natural e todos os dias.

Being the priority in my significant other’s life has become my new priority in a relationship. I was never a priority in anyone’s life (mostly because I did not make myself a priority in my own life) and always accepted a very secondary role in my boyfriends’ lives, just because I really wanted to be in the life of that gorgeous man, that powerful man, that tall man, no matter what.

That Jessica does not exist anymore. We have to be each other’s priority in a relationship. I am not saying we have to stop working or doing other stuff just to spend the day staring at each others’ eyes. What I mean is that we cannot be just an after-thought for some else. I need someone who thinks about me/us, puts me/us first, is available to listen to me and dedicated its time to me/us. I heard it’s one of the most importante things in the world, when a man gives us his time. It’s a proof of love. And I want that proof to come naturally to me. Daily.

E tu? do que já não vais prescindir / aceitar numa relação? 

What about you? What are your non-negotiables? 






loading...

- A Lot Can Happen In A Year
"All along it was a fever  A cold sweat hot-headed believer  I threw my hands in the air, said, "Show me something,"  He said, "If you dare, come a little closer." " Rihanna feat. Mikky Ekko - Stay  "Nosso amor deu sentido ao...

- Are We Really Together In Real Life If We Are Not "together" Online?
Querida Sofia, Hoje em dia, namorar é uma coisa muito complicada. Alias, namorar sempre foi uma coisa muito complicada para mim, por uma sucessão de más escolhas minhas, mas sei que o patamar agora está muito lá em cima. Já não bastava a...

- The End Of Relationships | Do Fim Das Relações
Gettyimages.ptQuerida Sofia, Um dos principais motivos de conflito “interno”, existentes no meu coração, para com a minha família tem como origem a minha incapacidade em sentir qualquer admiração por alguns dos membros que a constituem. E o...

- A Vida Amorosa E O Plano | The Love Life And The Plan
valdirose.blogspot.com Querida Sofia,  Para resumir, sinto que falhei em duas coisas na vida: sair de França por vontade própria e manter uma relação estável. Sobre a primeira grande falha, já muito falamos....

- Yes, This One Is For You.
It took me a bit of time to accept the way things turned, sour and hopeful, jumping till the sky and then falling hard. I find it annoying when people say “some awful things have happened, but I cannot get into details”. Sometimes we would rather...



Filosofia








.